quarta-feira, 5 de março de 2008

População manifestou-se contra degradação da Sé de Silves

Cerca de 90 pessoas reuniram-se no passado Sábado à noite, junto à Sé de Silves, para se manifestarem contra o estado de degradação em que se encontra aquele Monumento Nacional.
Para além da população anónima, particularmente os paroquianos de Silves, a concentração pacífica, promovida pela Comissão Política local do PSD, contou com a presença da presidente da Câmara Municipal, Isabel Soares, e de representantes de outras forças políticas, nomeadamente do PS e PCP, assim como do pároco local, o padre Carlos de Aquino.
O presidente da Comissão Política do PSD silvense, explicou à FOLHA DO DOMINGO que o que motivou a vigília foi apenas a reivindicação do arranjo do telhado e não a manutenção geral do edifício também necessária.
José Soares entende que “o Estado está a descartar-se da sua responsabilidade de fazer os arranjos necessários no telhado”. “O telhado está orçamentado, há um ano, em cerca 370 mil euros e é muito provável que no futuro vá ter uma grande derrapagem porque condições estão a deteriorar-se”, complementa.
José Soares recorda que o mais significativo exemplar do gótico algarvio é um dos monumentos mais visitados no Algarve. “Já que o Primeiro Ministro apela a um turismo de qualidade e que o Algarve tenha uma boa oferta para os seus turistas, então que a igreja de Silves tenha as obras necessárias para receber esses turistas”, reivindica.
Aquele responsável não descarta ainda a possibilidade de o PSD levar o problema ao Parlamento. “Se isto continuar a arrastar-se durante muito mais tempo é muito provável que o PSD tome outro tipo de iniciativas com vista a levar esta questão à Assembleia da República”, disse.
Isabel Soares garantiu já ter contactado todas as entidades possíveis, particularmente o Presidente da República, o Primeiro Ministro e o Ministério da Cultura. “Fiz chegar o descontentamento e estado de conservação do edifício porque é o mais emblemático de todo o Algarve”, justificou, acrescentando que depois de ter convidado o novo ministro da Cultura a visitar a antiga catedral algarvia, José António Pinto Ribeiro manifestou a sua disponibilidade para a visita “dentro de algum tempo”.
A presidente da Câmara de Silves confirmou ainda ter recebido na última sexta-feira uma nova informação do IGESPAR – Instituto de Gestão do Património Arquitectónico que lhe voltou a confirmar não ter dinheiro para fazer as obras.
Isabel Soares assegura ainda que a anterior ministra da Cultura lhe propôs várias vezes que a autarquia encontrasse um mecenas para financiar os trabalhos. “Entendo que o Ministério da Cultura é que tem de dar o primeiro passo”, contestou, assegurando que a substituição ministerial “veio fazer regressar todo o processo à estaca zero”.
A autarca refutou ainda que a degradação da Sé se tivesse acentuado com as obras do espaço circundante à igreja. “Por questões arqueológicas foi quase tudo feito a «pincel e bisturi»”, elucida.
Garantindo que ainda “ninguém perdeu a esperança de ver a Sé restaurada”, o padre Carlos de Aquino, considerou “falacioso o argumento de que é preciso um intercâmbio com as Câmaras e um mecenas, uma vez que esta obra foi classificada como Monumento Nacional desde 1922, cabendo ao Estado, como casa do Estado, não só reconstrui-la, mas conservá-la e velar pela sua manutenção”. “Nas várias tentativas que os anteriores párocos fizeram para valorização do espaço, as obras foram embargadas”, constatou, lembrando que também ele próprio já pediu autorização para algumas intervenções, sem que houvesse deferimento.
O sacerdote garante ainda ter deixado ao secretário de Estado da Cultura que “a paróquia tem todo o interesse em comparticipar naquilo que for possível no respeitante à reconstrução da Sé”.
Aos presentes na manifestação de sábado à noite, o pároco da Sé considerou que “a política seguida a respeito da conservação, manutenção e restauro da Sé de Silves tem sido uma fraude”. “Não nos vamos calar junto dos espaços próprios e de intervenção para que, quanto antes, as obras se iniciem na Sé”, garantiu o prior.

10 comentários:

Manuel Ramos disse...

O comunicado perde desde logo toda a credibilidade e rigor quando afirma que nesta concentração estiveram presentes "...representantes do PS e do PCP". Estando presente no evento, não reconheci a presença nem de uns, nem de outros. A não ser que tomem a minha presença como a de um representante do PCP. Mas isso é ignorar escandalosamente a condição de independente de alguém, é manifestação de pura demagogia política e, pior ainda, é manifesto aproveitamento político duma situação que é claramente supra-partidária. Enfim, é muito feio!
Já para não dizer o seguinte: se queremos atribuir culpas de cariz partidário, façamo-lo a quem tem estado no Poder (sem olhar a partidos), e no Ministério da Cultura, nos últimos anos, isto é, aos ministros e secretários de estado do PSD e do PS. Porque a situação não é de hoje...

Anónimo disse...

Senhor Vereador Manuel Ramos, muito feio é não reconhecermos a nossa arrogância e julgarmos que sabemos de tudo. Quando se diz:(...) representantes de outras forças políticas, nomeadamente do PS e PCP (...) pode isto ter várias interpretações. A sua é uma delas. Além do mais não se diz que são representantes do PS ou do PCP de Silves. Aprenda a ler se se julga tão inteligente! Muito embora independente, não estiveram o seu nome e foto em propaganda com o símbolo do PCP mesmo que independente? Isso não é uma representação do partido?
E porque julga conhecer todos os militantes do PS de Silves?
Pense antes e fale/escreva depois. Assim não vai a lado nenhum!

Manuel Ramos disse...

Fala, fala, mas não diz nada. Aliás, diz asneiras. Contradiz-se, pois quando se diz que estiveram "presentes representantes de outras forças políticas nomeadamente do PS e do PCP" e logo, logo a seguir, diz que isso não se diz, o que se pode dizer do que se diz neste comentário!! que é tolo, arrogante, pior ainda, estúpido quando fala em interpretações do que não tem senão uma, porque é bem claro o que se diz. Desafio-o a dizer (já nem falo do PS) o nome de um só militante do PCP que lá estivesse! Militante, porque do que se fala até é de representante! Isso acarreta muito mais responsabilidade (procuração política, sabe o que é?) do que a de militante. Entende a diferença? Venha daí a resposta! Isso sim gostava de ver. Mas não tenho esperanças...
P.S.- E já que sei tudo, aproveito para lhe explicar: estar numa coligação (CDU) de que fazem parte partidos e também independentes não faz de mim representante de ninguém. Quando o PSD estava na AD...
Aproveito a "deixa" para o citar: "Pense antes e fale/escreva (?) depois".
Teria sido bem mais feliz!

sou anónimo hehe disse...

vocês também aceitam pagamentos de quotas em sacos de dinheiro?

Anónimo disse...

sr. Manuel Ramos, sei que não tem muito para fazer na sua vida activa e tem tempo para se dedicar aos blogs e às mesquinhices a ver pelo seu próprio blog, mas se o sr. ao concorrer nas listas do PCP mesmo que independente, quer o sr. dizer que não representa o PCP ao serviços dos munícipes??? então o que acham os camaradas de Silves sobre a sua posição??? será que iram querer votar em si para presidente deste município??
já agora qual é a sua credibilidade que foi á manifestação e não teve uma palavra positiva aos que organizara?? deduzo então que é contra os que tentam alertar os Governantes do PS e que a Sé e a manifestação para si foi apenas para se mostrar e criticar como sempre vez na sua vida?? "traumas!!!".

já agora sabe o que pensam os seus alunos de si???

e os seus colegas???

É capaz de não sair de casa por uns tempos!!!

Dou-lhe um conselho, olhe ao espelho!!!

Miguel Gonçalves disse...

Antes de mais, a CPJSD de Silves, regista com agrado a participação no nosso Blog, do Vereador (independente) que integrou a lista da CDU Silves á CMS, nas últimas eleições autárquicas para o referido órgão.

Gostaríamos igualmente de frisar o facto que o Post que aparece no nosso Blog, não foi escrito por qualquer membro desta comissão política, pois se o Sr. Vereador efectuar um “click”no título do referido artigo, será remetido para o link pertencente a uma das agências de imprensa que marcou presença na referida manifestação. Portanto, qualquer manifestação ou desagrado que tenha em relação ao referido “Post”, achamos por bem que o manifeste junto de quem redigiu o artigo.

No que concerne á nossa opinião (tirando o caso de o confundirem com um militante ou representante de um partido político), achamos que o artigo não contem qualquer tipo de conteúdo ofensivo, ou qualquer tipo de mensagem perniciosa. Julgamos até, que o artigo ressalva e destaca aquilo que realmente interessa, que é o (mau) estado da Sé de Silves e o facto de nada ter sido feito pelos organismos competentes.

Com os melhores cumprimentos e gratos pela sua participação,

CPJSD de Silves

Manuel Ramos disse...

Caro Miguel,
Agradeço o esclarecimento e o que mais diz neste comentário, excepto alguma tolerância para o Anónimo que se permite entrar pelo comentário à minha vida profissional...
E já agora, como meu antigo aluno, porque não dizer de sua justiça?
Não levo a mal a crítica de quem realmente privou comigo.
Os professores estão mesmo em processo de avaliação, não estão??

Anónimo disse...

o sr. Manuel ramos, não questione o que os seus alunos pensam de si, pode ter surpresas.

quanto aos prof. serem avaliados, é pena que a nota que estes dão aos alunos vai contar para a sua média, assim você pode estar descansado. LOL

olhe para mim, não existe independentes, pelo menos têm tendências e estas deixa logo de parte a independência.

Miguel Gonçalves disse...

Em relação aos comentários não identificados e que contenham uma linguagem menos apropriada para com quem que seja, a JSD desmarca-se e censura completamente esse tipo de ataques. Não nos revemos nesse tipo de comportamentos, sendo que já tínhamos emitido um comunicado no Blog, no sentido de alertar para o tipo de conteúdos que são debatidos neste espaço.

Quanto á pergunta que o professor me coloca, em relação ao seu desempenho como professor, a minha melhor resposta (e já que este país está envolvido por uma histeria colectiva no que respeita a avaliações de produtividade...), posso dizer que passou com distinção!

Por último, reforço a ideia (mais uma vez) que para todos aqueles que queiram participar num debate de ideias, de maneira ordeira e eticamente aceitável, que o podem fazer neste espaço, mas sempre com respeito por quem pensa de maneira diferente, independentemente da sua ideologia político-partidária.

Cumprimentos e uma Boa Páscoa!

Manuel Ramos disse...

Obrigado, Miguel, pela resposta e pela "avaliação". Espero que o Anónimo a leia e me permita sair de casa nos próximos tempos!!
Retribuo os votos de Boa Páscoa!